Amazon proíbe WikiLeaks de usar seus servidores - Mídia Social - 2019

Anonim

O WikiLeaks tem sido o centro de controvérsia nesta semana devido a ter liberado mais de 250 mil telegramas diplomáticos dos EUA na internet e nas mãos de organizações de notícias selecionadas. Muitos dos cabos são de natureza sensível e descrevem as relações e os esforços dos EUA com países como a Rússia, a Coreia do Sul e o Paquistão.

Como se pode imaginar, o governo dos EUA não está muito feliz com a divulgação desses documentos confidenciais e tem pressionado muito o site. Esta notícia vem depois que o senador Joe Lieberman, presidente do Comitê de Segurança da Câmara, questionou a Amazon.com.

“Eu gostaria que a Amazon tivesse tomado essa ação mais cedo com base na publicação anterior do Wikileaks de material confidencial. A decisão da empresa de cortar o WikiLeaks agora é a decisão correta e deve definir o padrão para outras empresas que o WikiLeaks está usando para distribuir seu material ilegalmente apreendido ”, observa Lieberman.

Desde o lançamento destes cabos, o WikiLeaks tem estado sob o alvo de vários ataques distribuídos de negação de serviço (DDoS), deixando o site aleijado. Ele mudou de seus servidores suecos para a Amazon Web Services ontem. O site recebeu prontamente mais ataques DDoS e foi iniciado na Amazon e não está de volta em seus servidores suecos.

Parece provável que a Amazon tenha derrubado o WikiLeaks por causa da pressão do governo dos EUA, embora nenhuma razão oficial tenha sido dada.